<$BlogRSDUrl$>

Wednesday, March 26, 2003

Pra distrair

Se vcs quiserem ler um monte de coisa engracada em um site surreal e bacana, vah no www.topassada.com , do meu amigo Urbano ( vivendo em exĂ­lio num local onde as botas foram encontradas mas Judas continua desaparecido como ele escreveu) e com participacao em uma coluna engracaderrima do Rodrigo Cianni. Tem um link "de um tudo" a coluna da Sheila (ela mesmo da caverna do Dragao!! Poe a capa e desaparece nega!). Enfim, nao dah pra perder!!
Docinho de coco, com mel e chocolate!!!

Entao, hoje eh pra sacudir a poeira e dar a volta por cima!!! Vamos falar de amor... daquele sentimento gostoso que invade a gente, faz o olho brilhar, rir a toa...que de vez em quando eh contido, nos abrimos com cuidado, tira cada tijolinho do muro que envolve o nosso coracao por causa da ultima decepcao. Mas tambem tem aquele que a gente abre mesmo tudo, dah a chave pro gatusco e seja o que Deus quiser, eh aproveitar o hoje... esse ultimo geralmente eh mais intenso, marca , nao faz a gente pensar muito no futuro a nao ser que sejam planos pra sermos felizes com o bofe.

Gracas a todas as rezas e correntes da boa feh, uma querida amiga conseguiu um cara que estah fazendo juz a sua forma de amar. Porque uma pessoa como ela nao sabe ser contida, espera ligar, tenta descobrir o que se passa na cabeca do outro... ela eh assim: os sentimentos estao escritos pra quem quiser ver, e o minimo que ela exige eh ter o maximo de volta. Eh o tipo de amor que faz a gente amar junto, que faz a gente rir junto e ficar feliz tambem. Amor que nem esse demora, a gente sabe. Aparece quando menos esperamos, de onde nem imaginamos - jah repararam que todo mundo fala isso quando vc tah solteira, comendo horrores e achando que vai morrer no caritoh ? Mas eh assim mesmo que acontece, que nem magica.

Nunca fui muito de amor acucarado. Daqueles que chamam "meu nenem" "Benhe" nao fica cinco segundos sem ficar um beijando o outro especialmente em publico, um saco! Mas estou aprendendo a respeitar isso, a ler as posias e demonstracoes publicas como uma coisa bacana (claro respeitando as regras de bom relacionamento com as pessoas sentadas na mesma mesa de bar), nao ficar com medo daquilo machucar porque eh tao forte, tao absoluto que a gente acha que a pessoa vai quebrar. Depois dos ultimos acontecimentos vi que a gente nao pode viver com medo. Principalmente o medo de ser feliz. De se entregar. A gente torce pra que tudo de certo e que os bons momentos venham!!!

Entao eh assim, mel, chocolate, acucar, chamem como quiser , sempre falei que o amor eh brega e quem sabe mesmo das coisas que passam na nossa cabeca eh dupla sertaneja. Se voce tah no estado de graca vale tudo minha santa!! Eh o amoooorrrrr!!!!

Monday, March 24, 2003

Um dia na praia...

Hoje lembrei de um dia no Brasil, em que eu estava na praia com a minha irma e os amigos dela. Eles saiam o tempo inteiro juntos, e do grupao alguns namoravam entre eles, outros estavam meio sem destino na vida e de comum mesmo soh o fato de quase todos serem jovens juizes e encherem o saco falando de Direito o tempo inteiro. Compraram terreno no mesmo condominio (minha irma foi a unica sem $$ pra construir e acabou vendendo o pedaco do paraiso pra minha mae, afinal ela nao fazia parte do mundo dos "adEvogados").

Voltando ao dia na praia, a gente tava lah comendo camaraozinho e moqueca e de repente um deles veio com uma conversa meio mole pro meu lado. Convidou pra jantar e tal, mas pensei que ele era meio velho pra mim, acho que uns trinta - pra mim eh velho!! - nao era meu tipo pq eu vivia falando que a cabeca dele parecia um ovo cozido. Ele sempre raspava o cabelo e deixava a careca reluzente como o seu pai. Fazia sucesso com as mulheres nao pq era o bonitao do pedaco mas pq tbm trazia um certo "status" por ser do alto escalao da lei e de vez em quando aparecer na TV. Na epoca estava na fase romantica sem namorado e ainda pensei na possibilidade por nao ter nada melhor pra fazer. Resolvi declinar educadamente e nao dar razao para fofocas e nem pra me envolver com o tipo dele - bom amigo, mas...

Lembro tbm de varias festas de aniversario, varias idas a bares, lugares pra dancar, praia de novo, nada pra fazer e ir comer comida japonesa. Quando voce estah longe de casa lembra das pessoas assim, de forma simples e dos momentos bacanas. Entao voces podem imaginar como eh dificil abrir as paginas do jornal e ver que uma dessas pessoas foi assassinada e estah em todas as capas de jornal do Brasil. "Juiz assassinado no ES, Alexandre Martins de Castro Filho, 32 anos ..." . Olhando pra noticia nao consigo imaginar o cara que estava ajudando a combater o crime organizado no estado , mas sim o "conquistador" do grupo, o tal que tinha cabeca parecendo ovo cozido. Que teimava conhecer e saber tudo sobre qq assunto, mas no fim caia no papo mais chato do planeta. E mesmo assim quando eles iam sair tinha a lista - vamos ligar pro Fernando, Marquinhos, Ana Claudia, Nilda, Alexandre...

Agora eh um sentimento estranho... a guerra tambem faz a gente meio angustiado especialmente com a falta de informacao que reina nos EUA. Eh a Guerra pela Libertacao do Iraque como dizem os jornais e as pessoas acreditam. Na se ve corpos, ruinas, nada... soh a intencao do governo em nao atingir alvos civis e que todos os ataques estao sendo certeiros. E nao sao. E no Brasil a guerra contra o narcotrafico que mata gente nova cheia de vida, que me fazem lembrar de momentos felizes na praia... e que a gente finge que nao existe tambem.


Comente

This page is powered by Blogger. Isn't yours?